Aprenda a economizar energia em casa

Se está difícil economizar, a família não ajuda... seus problemas acabaram!! (Tabajaraaa)
Este guia do Programa Nacional de Conservação de Energia Elétrica (Procel) é dirigido a todos que desejam fazer um uso eficiente da energia elétrica em suas residências. O curso tem quatro módulos, que abordam conceitos de energia e eficiência energética; tecnologias e equipamentos; hábitos para a redução do desperdício de energia; e uma avaliação sobre o aprendizado na última etapa

Ao final da avaliação online, é possível obter um pequeno certificado. O usuário, além da gratuidade do curso, tem a vantagem de fazê-lo de acordo com o seu próprio tempo.

Veja o procedimento:

Faça download do Curso Online de Eficiência Energética salvando-o em seu computador
Descompacte o arquivo Zip em seu computador
Dentre os arquivos descompactados, clique em “eletrobras”
Clique na opção para EXECUTAR o software
Fazer todos os módulos do curso
Acesse a avaliação on-line e veja o seu desempenho


Clique aqui para fazer o download do programa
Clique aqui para o acesso à avaliação on-line.

Fonte: matrizlimpa.com.br

Tijolos feitos com Entulho

A aposta na redução do impacto ambiental da construção civil foi o que levou a empresa gaúcha de fornecimento de andaimes e equipamentos para o setor, a Baram, a desenvolver uma máquina e um processo para fazer tijolos de entulho na canteiro da obra, explicou o principal executivo da empresa Josely Rosa.

“A empresa que não tem um projeto de sustentabilidade vai ser banida do mercado e quatro ou cinco anos,” explicou.

A unidade de reciclagem do grupo Baram, Verbam, deve lançar o novo produto na Feira Internacional da Indústria da Construção (Feicon) que ocorrerá em São Paulo no mês de março. Este é o primeiro produto que visa redução do impacto ambiental na construção, mas logo deverão ser lançados mais três, revelou o empresário.

Na verdade, a Verbam vende uma máquina de triagem e processamento do entulho, mas para atendar à demanda das construtoras a empresa desenvolveu também o processo e treina os funcionários na elaboração do tijolo.

“Primeiro desenvolvemos a máquina, mas sem o produto final, que é o tijolo, houve aceitação baixa,” lembrou. “Voltamos a estudar o produto e percebemos que as construtoras precisam ver uma vantagem final”.

Pelo processo desenvolvido, é possível construir uma casa de 60m2 com 50 toneladas de entulho. Além de reduzir o custo do tijolo e reduzir a pegada ecológica da alvenaria na obra, pois o tijolo não necessita queima, o produto da Verbam permite cortar custos com contratação de caçambas, garantiu Rosa.

Foram investidos cerca de R$600 mil e o trabalho de sete engenheiros pesquisadores no desenvolvimento do produto que começou há cinco anos quando Rosa voltou de feiras europeias de construção.

“Quando visitei a Europa comecei a perceber para onde caminhávamos,” explicou. “A preocupação [com o meio ambiente] está crescendo e nós empresários não temos opção a implementar processos menos danosos ao meio ambiente”.

Além da pressão do público, por meio da mídia, os próprios clientes da empresa estão exigindo melhores padrões enquanto novas leis vão começar a exigir melhores padrões, disse Rosa que vislumbra um dia as construtoras recebendo entulho de outras obras para fabricar seus próprios tijolos.

Testes mostraram que o tijolo feito pelo processo da Verbam é mais resistente que os tijolos de cerâmica ou concreto. Hoje, a empresa já desenvolve três projetos com o conceito e já pesquisa um sistema adesivo para fixar os tijolos e eliminar a necessidade de cimento, explicou Rosa sem revelar quais serão as outras inovações que empresa está pesquisando.

Fonte: http://www.revistasustentabilidade.com.br

Detentos doam seu almoço para as vítimas da chuva

"Também temos coração"

Sensibilizados com a tragédia ocasionada pelas chuvas no sul do Estado e na região serrana do Rio de Janeiro, Presídio de Lagoa da Prata, esta cidade QUENTE em que vivo, se uniram voluntariamente à legião de colaboradores anônimos que tentam minimizar o sofrimento dos desabrigados. Nesta quinta-feira, dia 20, eles deixaram de almoçar para que os mantimentos que seriam usados no preparo das refeições sejam doados às vítimas das enchentes.

A ideia partiu dos presos e acabou tendo a adesão também dos funcionários e diretores da unidade. O resultado foi uma carga de 50 quilos de alimentos para serem enviados às áreas mais atingidas. Para a presa Janaína Pereira, de 33 anos, que cumpre pena há 3 anos e 5 meses, a atitude representou sua primeira participação em uma ação de ajuda voltada para pessoas que não estão privadas de liberdade. “Dissemos que queríamos ajudar. Mesmo presas, somos pessoas iguais a todas as outras. Temos necessidade de ver o mundo melhor lá fora. Todos que estão aqui e se dispuseram ajudar têm filhos, parentes, e não queriam que eles passassem por tal situação”, disse.

O Presídio de Lagoa da Prata acolhe atualmente 126 presos, sendo que 110 aderiram à ação. “É a forma que achamos para provar que também temos coração. Ficamos sem almoçar apenas por um dia, mas para quem vai receber os alimentos isso vale muito. Se preciso fosse, a gente faria muito mais. Podemos ajudar a sociedade aí fora. Hoje até assistimos ao jornal com o coração mais aliviado”, completa Janaína.

Como na quarta-feira foi um dia em que os familiares levam comidas aos presos, eles puderam substituir o almoço pelos alimentos que receberam, como biscoitos e pães de queijo. Como as outras três refeições do dia foram mantidas, não houve problemas. O diretor geral da unidade, Sebastião Magela de Castro, ressaltou a mudança de postura dos detentos. “Já houve situações, há alguns anos, em que os presos faziam tumultos por causa de comida. Hoje, eles tiveram a iniciativa de deixar de almoçar para ajudar os outros”, reforça.

Os alimentos serão repassados à Cruz Vermelha, junto com outras doações que chegarem até o presídio, que está servindo como um dos pontos de arrecadação de donativos do município.

Fonte: Noh.com.br

Durma com essa!!


2010 - O ano em que o frio saiu de férias

A Organização Meteorológica Mundial (OMM), ligada à ONU, informou nesta quinta-feira em Genebra que 2010 foi o ano mais quente desde que há registros, o que confirma uma tendência "significativa" de aquecimento do planeta a longo prazo.

A tendência também contribuiu para um derretimento ainda maior do gelo no Oceano Artico, cujas geleiras caíram a níveis recorde em dezembro.

"Ano passado foi o mais quente registrado, junto com 2005 e 1998", afirma um comunicado da OMM, o que confirma as avaliações preliminares baseadas em um período de 10 meses e que foram apresentadas na reunião mundial sobre o clima de dezembro.

"Os dados de 2010 confirmam uma tendência significativa de aquecimento da Terra a longo prazo", afirmou o secretário-geral da OMM, Michel Jarraud.

Fonte: Uai.com.br, com informações de AFP

Ecologia x Religiões

Quanto mais a ciência é mudar a consciência da humanidade de hoje é a "nova cosmologia" ciência do cosmos e da natureza, todos eles. Pela primeira vez, e simultaneamente a toda a humanidade, temos uma visão científica do universo: a sua origem, seu tamanho, sua evolução, galáxias, estrelas, planetas, vida ... e é uma vista maravilhosa, realmente fascinante, muito diferente do que tínhamos, que temos tido por milênios, até poucas décadas atrás.
Ao longo da história da nossa espécie, que não tinha meios de conhecer o cosmos. Apenas quatro séculos Galileu inventou o primeiro telescópio bruto. Religiões, a curiosidade, intuição, arte, poesia ... se comprometeu a reunir-se com imaginação e criatividade a nossa ignorância coletiva, nossos medos e desejos de saber .. "Mitos", tão grande, que os nossos antepassados desenvolveram coletivamente e, tradicionalmente, atribuída a revelações divinas, desempenhou um papel social essencial para a nossa organização civilizacional, instalações e veículos para as crenças fundamentais para a auto-compreensão de nós mesmos e nossa programação social.
A nova cosmologia, a implantação tão grande que a ciência nos últimos tempos tem sido feito em pedaços esse "imaginário religioso clássica", que tem sido antes a consciência da humanidade por milênios. Os mitos que há muito tempo acreditava que a humanidade foi uma descrição da realidade (como revelado pelos deuses), em flagrante confronto com a visão de que a ciência define diante dos nossos olhos. Religião, arte, poesia imaginar um mundo pequeno, apartamento, imóvel, fixa, e diretamente criado como vemos, e governado por um Deus lá em cima, lá fora , seria um tipo de razão fundamental para tudo ... . Neste mundo da ciência nova, já não podemos ser pessoas de hoje e de continuar a participar nesse imaginário. E essa é a principal razão para a relação tensa da nova cosmologia ea ciência em geral com a religião.

Leia na íntegra: http://zelmar.blogspot.com/2011/01/ecologia-desafio-para-as-religioes.html

O Telhado Ecológico




Muito se fala sobre as tais coberturas verdes, que mais parecem jardins suspensos. Mas por que elas ganham tantos adeptos? Para um sistema de fácil instalação e custo viável, o resultado surpreende e a lista de vantagens é extensa. Sobre a estrutura impermeabilizada do telhado ou da laje, colocam-se manta de proteção antirraízes, manta de retenção de nutrientes, terra adubada e plantas que exijam poucos cuidados em relação a água, poda e nutrição. "A camada de terra e vegetação funciona como um filtro de calor ou de frio, mantendo a casa fresca no verão e agradável no inverno", diz a arquiteta Karla Cunha, de São Paulo.

Esse conjunto barra ruídos que vêm de fora e ainda pode virar uma área de lazer, dependendo da inclinação da cobertura e do peso que suporta. Além dos benefícios para os moradores, o planeta sai lucrando, pois telhados verdes diminuem a concentração de calor nas grandes cidades e ajudam a reduzir os riscos de alagamento, já que a água da chuva escoa mais lentamente.

Produtos "verdes" realmente compensam??

A questão do blog é difundir essa ideia... então.. claro que compensa!
Mas se for pensar em dinheiro... aí são outros 500!
Produtos financeiros verdes não rendem bem.

Leiam essa reportagem do Económico, de Portugal

Os produtos financeiros amigos do ambiente aliviam a consciência mas deixam também a sua carteira mais leve. A rendibilidade média nos últimos 12 meses dos fundos de investimento ecológicos não vai além dos 8,5%. Os ganhos não são maus mas ficam muito aquém dos congéneres, como por exemplo o sector da indústria que remunera, em média, a 25,7%. Mas existem produtos que, embora mais caros, têm uma atitude proactiva em relação ao ambiente, não se limitando a ser verdes. É o caso dos cartões de crédito Carbono Zero, da Caixa Geral de Depósitos, e do cartão WWF do BES. Em contrapartida o cartão Green da Cetelem, de verde só tem o nome - e na verdade também a cor. Obviamente existem produtos onde as preocupações ambientais compensam, como os créditos para energias renováveis, muito embora estes sejam uma excepção legislada. Trimestralmente o Banco de Portugal fixa as taxas máximas a praticar nas várias modalidades de crédito ao consumo, onde os créditos para energias renováveis gozam de taxas máximas consideravelmente mais baixas face a um crédito ao consumo normal.

Centro-Oeste de Minas ajuda as vítimas da chuva

Após reunião realizada na Prefeitura de Formiga, a pedido do prefeito Aluísio Veloso, a cidade está recolhendo doações que serão enviadas às vítimas das chuvas no sul de Minas e no Rio de Janeiro.

Segundo a coordenadora do CRAS I, Ana Paula Silva, a arrecadação começou nesta segunda-feira (17 de janeiro) e até as crianças atendidas pelo CRAS participam da corrente de solidariedade, visitando moradores para recolher as doações que incluem materiais de limpeza e higiene, água mineral, alimentos não perecíveis e roupas.

Assim como as prefeituras, empresas também se solidarizam com o drama vivido pelos moradores de regiões castigadas pelas chuvas.A Lafarge Brasil pretende doar uma parte da produção de cimento da unidade da fábrica em Cantagalo (RJ), para construção de casas para os desabrigados. A unidade da empresa em Arcos, também deve participar da ação solidária.

O Portal Noh!, em Arcos, também está mobilizado e chamando para a participação os arcoenses, que devem entrar em contato por telefone ou por email para agendar a coleta de itens a serem doados.

Em Lagoa da Prata, o Rotaract, o Lions e as duas paróquias católicas vão receber as doações.

A Prefeitura Municipal de Arcos também pretende realizar uma ação solidária. Os detalhes serão discutidos hoje (18 de janeiro) em reunião que acontece às 17h00 na Casa de Cultura em Arcos. A intenção é reunir voluntários para auxiliar na realização das ações definidas. Toda a população está convidada a participar. O Portal Noh! também estará presente na reunião, já que este é um momento de união e solidariedade em favor das pessoas afetadas pelas consequências das chuvas.

As doações feitas em Arcos, Formiga e Lagoa da Prata serão reunidas e encaminhadas para as regiões atingidas pelas chuvas e onde há o maior número de vítimas.

Carnaval sustentável

No próximo dia 22 de janeiro começa a ser veiculada nos jornais O Globo e Extra a campanha ‘Carnaval Sustentável’, nova peça publicitária da Nova Rio, empresa prestadora de serviços terceirizados nas áreas de Limpeza e Conservação, Manutenção de áreas verdes, Higienização e desinfecção hospitalar e Terceirização de mão-de-obra especializada. Em 07 de janeiro começou a circular um Teaser da campanha, com a chamada “Neste carnaval a Nova Rio transforma fantasia em realidade sustentável. Aguarde!”.

A campanha é composta por imagens de fantasias criadas a partir de materiais recicláveis, com o objetivo de conscientizar a população sobre a quantidade de lixo útil desperdiçado que podem ser aproveitados de forma criativa. As fantasias foram criadas pelos alunos do curso de Moda da Universidade Veiga de Almeida e os figurinos vão de atuais, como Avatar, a clássicos, como Mary Poppins e Marylin Monroe. Quem assina é a agência de publicidade Strenna Comunicação Integrada, que criou a campanha que será veiculada até o dia 9 de março.

“O intuito é despertar a ideia de que a consciência ambiental pode fazer parte do nosso dia a dia, seja por medidas simples, como a coleta seletiva, ou por medidas mais criativas, como a confecção de fantasias e apetrechos para curtir o carnaval”,explica Bruno Loureiro Kuhl, Gestor de Comunicação e Marketing da Nova Rio.

O slogan da campanha traz um duplo sentido na palavra “fantasia” que pode ser interpretado como “imaginação” ou como “roupa de carnaval” e se tornam palpáveis a partir do reaproveitamento de materiais que seriam descartados. Entre os materiais utilizados estão caixa de ovo, tampinha, garrafa pet, fita de cetim, rebite, câmara de pneu, tela de mosquito, cabo de vassoura, arame e retalho de tecidos. As demais fantasias que estrelam a campanha são: super-herói, malabarista e pop-art.


Fonte: Revista Fator Brasil

Usando uma torneira no aquário...

... economiza água!
O designer Yan Lu bolou uma maneira bastante criativa e chocante para economia de água.
Funciona dessa maneira:


Ele criou uma torneira que utiliza a água de um aquário que esta fixado bem na frente da pessoa que irá lavar a mão, quando a pessoa abre a torneira a água do aquário vai escoando. Imagine o susto! Com a sensação de que o aquário vai esvaziar a pessoa fecha rapidinho a torneira.

Parque Estadual Serra do Cabral recebe Exposições Arqueológicas

A comunidade de Buenópolis, na região Central do Estado, ganhará, neste sábado (15), um espaço destinado a apresentar os sítios arqueológicos descobertos na Serra do Cabral. Será inaugurada a Sala de Exposições Arqueológicas, um espaço situado no antigo Sobrado da Fazenda Riachão, que faz parte da implantação do Centro Cultural e de Informações do Parque Estadual Serra do Cabral.

Na Sala de Exposições, estarão dispostos objetos que permitem a percepção das relações sociais estabelecidas entre o homem e a natureza, com diferentes culturas e ao longo do tempo. O espaço reunirá objetos dos sítios arqueológicos descobertos na Serra do Cabral, alguns deles tombados pelo Conselho Municipal de Patrimônio Cultural de Buenópolis. Estarão expostas, ainda, peças encontradas durante as escavações, que atualmente estão guardadas no Instituto de Arqueologia Brasileira, no Rio de Janeiro.



Fotos de satélite mostram tempestades vistas do espaço

Fotografias aéreas feitas pelos satélites da Nasa, a agência espacial americana, mostram os recentes fenômenos naturais que provocaram tempestades de neve, fortes chuvas e enchentes nos últimos dois meses em todo o mundo.

As fotos mostram o Brasil, a Austrália e os Estados Unidos. Nelas, é possível ver a massa de ar frio cobrindo o Sudeste brasileiro entre os dias 9 e 12 de janeiro, quando chuvas atingiram a região, provocando deslizamentos de terra e causando centenas de mortes.

Nevasca nos EUA dia 12/01

Cinema + Cachoeira + Sustentabilidade!!

Claro! Tudo combina!

O Festival de Cinema Sócio-Ambiental da Serra do Cipó está em sua primeira edição e foi criado para promover o debate sobre o meio ambiente, preservação e sustentabilidade. A programação do Cine Cipó está disponível no site do evento, lá também é possível saber mais sobre os filmes que serão exibidos e as oficinas ministradas.

A Serra do Cipó está localizada a cerca de 90 km da capital de Minas Gerais, Belo Horizonte, e é um dos destaques turísticos da região. Possui um Parque Nacional e está inserida no Circuito do Diamante e na Estrada Real, com fauna e flora exuberantes.

Clique e veja o site do evento


Visto no www.moleco.com.br (entre e veja os cadernos de bolso de papel reciclado)


É possível NÃO produzir nenhum lixo??

Uma família britânica diz que sim.. ou pelo menos QUASE.

O casal Richard e Rachelle Strauss e a filha Verona, de 9 anos, reciclam praticamente tudo, plantam grande parte da própria comida e transformam restos de alimento em adubo.
Além disso, eles compram produtos diretamente de produtores locais para evitar embalagens em excesso e quando vão ao açougue, por exemplo, eles levam os próprios recipientes.

Em 2009, eles conseguiram reduzir sua produção de lixo para apenas uma lata. Em 2010, os Strauss, que vivem em Longhope, no condado de Gloucestershire, eles decidiram aumentar o desafio e não produzir lixo nenhum. "Estamos muito felizes com o resultado. Nós sabíamos que produção 'zero' de lixo seria impossível, mas se você não colocar as metas lá no alto, nunca vai saber o que pode alcançar", disse Rachelle Strauss.

A pequena sacola de lixo continha alguns brinquedos quebrados, lâminas de barbear, canetas e negativos fotográficos.

Fonte: Uai.com.br

A era da Moda Sustentável

A 17ª edição do Senac Fashion Business dará destaque a ONGs e marcas com compromissos social e ambiental, com espaço reservado à ‘Moda Sustentável’. Entre os expositores, a Grife Providência, uma parceria entre o Banco da Providência e a estilista Luiza Bomeny, a Rede Asta e a ONG As Charmosas, do Engenho da Rainha, vão marcar presença.


A Pano Digital, estamparia de Petrópolis, lança no evento processo inédito de produção com tecnologia limpa. A empresa — que ganhou certificação internacional — passou a usar tecidos de algodão descartados, garrafas PET (100% recicláveis), impressos por tecnologia digital e corantes à base d’água não poluentes.

Além dessas técnicas, tem a estação de tratamento de efluentes (ETE) para reciclagem de resíduos, eliminando passivos ambientais. Diretor da Pano Digital, Marcio Cosendey explica que o mercado foi receptivo à produção sustentável, e a empresa fechará o ano com crescimento de 85% . “O tecido leva 15% de fio de garrafa pet e 85% de fio de algodão que iria para o lixo. Não é historinha comercial. O produto é 20% mais caro, mas se paga no benefício ambiental”, resume.
Fonte: O Dia Online

Engenhoca para combater a dengue

Como todos sabem, os vasos de plantas são responsáveis por muitos focos de dengue, mas a invenção de um morador do Centro-Oeste de Minas pode ajudar a evitar esse problema. É uma espécie de aguador por gotejamento. Ideia que facilitou a vida de um casal de Divinópolis apaixonado por plantas.

A invenção é do técnico eletromecânico Marcos Tavares, que reaproveita garrafas pet, ajuda na “aposentadoria” do pratinho, evita a proliferação do mosquito da dengue e economiza água. Além disso, se a pessoa for viajar, pode ir tranquila sabendo que a planta não vai passar sede. O gotejador garante água por até uma semana. Além disso, aproveita garrafas PET velhas.

Veja como montar a "armadilha" de mosquito.



Retirado de Megaminas.com


Lagoa da Prata dando exemplo??

E não é para falar de cornos, nem de Gilberto Silva!

E sim das BICICLETAS.
Posso não ter muitos adjetivos para falar dessa cidade em que vivo, mas uma das coisas que me orgulho é o fato de aqui ter bicicletas... muuuuitas bicicletas.

Lógico que a questão ambiental é a que menos importa (para o povão, claro). As bicicletas aqui são usadas como meio de transporte porque a cidade é plana, quase não tem morros. E com isso o povo economiza na gasolina.

Mas não deixa de ser um exemplo!

veja a matéria no MGTV:



Ganhe dinheiro com Sustentabilidade

Isto é possível sim!
É nesse momento que entram em cena as consultorias especializadas.

O serviço, em geral, funciona como uma espécie de manual de instruções ao vivo sobre como implementar um plano de sustentabilidade e usar as normatizações internacionais.
Veja o que (e quanto) precisa investir:

CONSULTORIA PARA SUSTENTABILIDADE

EQUIPAMENTOS E INSTALAÇÕES:
 R$ 30.000 (sala para capacitação de até 30 pessoas, data show, tela, computador, cadeiras, sistema de som, móveis de escritório) 
CAPITAL DE GIRO: R$ 10.000 
FATURAMENTO MÉDIO MENSAL: R$ 10.000 
FUNCIONÁRIOS: 2 (o dono e 1 empregado) 
PRAZO DE RETORNO: 24 meses.


A Setor3, de Santos, no litoral paulista, presta assessoria e treinamento ao setor público e privado desde 2002. “Há dois anos, sustentabilidade virou palavra de ordem, mas muitas empresas ainda entendem mal o conceito e confundem filantropia com responsabilidade socioambiental”, afirma a advogada Janaína Nogueira Miller, 35 anos, sócia da agência.

Com 28 projetos em carteira, a Setor3 faturou R$ 210 mil no ano passado. Em 2010, a consultoria planeja crescer 30% e, para isso, investiu R$ 80 mil na duplicação de sua capacidade de treinamento. Na sede da empresa foram construídos dois auditórios com 80 lugares cada, equipados com data show, sistema de som e telão. “Para implantar a cultura da sustentabilidade é necessário treinar os gestores. Por isso, quem deseja investir na área precisa ter uma sala própria para as aulas”, diz Janaína.

Cure o Mundo

Com esta frase, a música Heal The World lançada em 1991, no álbum Dangerous de Michael Jackson, fazia um apelo por um mundo melhor. No clipe, aparecem várias crianças carentes de países pobres, como o Burundi.

Em 2001, Jackson disse para os fãs num chat que Heal The World foi a canção que ele mais se orgulha de ter criado. Ele também criou a Heal the World Foundation , uma organização beneficente que foi concebida para melhorar a vida das crianças. A organização também foi destinada a ensinar as crianças a ajudar os outros.

E agora, em 2011, vinte anos depois, ainda precisamos Curar o Mundo, fazê-lo um lugar melhor.



Clique aqui para ler a letra e tradução de Heal the World