Programa de Simbiose Industrial é realidade em Minas

Desde agosto de 2010 foi sancionado no Brasil uma lei que institui a Política Nacional de Resíduos Sólidos e prevê destinação correta do lixo. Mas em Minas, a região Centro-Oeste saiu na frente e desde abril de 2009 implanta na região o Programa de Simbiose Industrial. Com o programa, mais de 180 empresas deixaram de descartar o lixo produzido de forma errada no meio ambiente.

Nas fábricas o ritmo de trabalho é intenso e o volume de produção grande. A empresária Vera Lúcia Pulheis Castro é proprietária de uma fábrica onde são feitas, em média, 16 mil peças de jeans. No setor de corte e facção é descartada mais de uma tonelada de retalhos por mês. “Nós sabemos que a produção do jeans é muito prejudicial ao meio ambiente por causa da química usada no produto”, afirma Vera Lúcia, que admite que antes do programa o material era jogado no lixo comum e poluía o meio ambiente.

Em apenas um ano e meio de atuação do Simbiose Industrial a realidade das 35 confecções da cidade, que geram juntas dez toneladas de resíduos por mês, mudou e as sobras dos trabalhos passaram a ser encaminhadas para reciclagem.

Troca ambiental em Formiga

O Banco de Alimentos, em parceria com o Setor de Endemias, realizou nesta quinta-feira (14 de abril), mais uma etapa do projeto Troca Ambiental.

Cidadãos de diversos bairros compareceram à sede do Banco de Alimentos, onde puderam trocar garrafas pets e latinhas de alumínio por feijão. Até às 15h00, 2 mil kg de feijão já haviam sido distribuídos.

Os materiais recolhidos durante a Troca Ambiental serão doados à Recifor.

Fonte: NOh.com.br