O crescimento das microusinas solares em Minas Gerais

Impulsionadas pela crise do setor elétrico, as microusinas solares ganham atenção e a demanda desses projetos surpreende, embora ainda concentrada nas famílias de maior poder aquisitivo e na população que valoriza insumos limpos e renováveis.

O modelo de energia elétrica movida à luz do sol em Minas Gerais apenas engatinha para fazer frente à dependência do Brasil da hidreletricidade.

Porém, hoje vemos uma onda com uma nova demanda por essa energia sustentável.

Me aventurei a fazer uma pós-graduação em Formas Alternativas de Energia, pela UFLA em 2011. Porém, sendo um curso à distância e não muito dentro da minha área de atuação, não cheguei a terminar.
Mas hoje fiquei feliz ao ver um colega daquela turma levando adiante e ainda ganhando dinheiro com aqueles ensinamentos. 

Há cinco anos no ramo de projetos de geração de energia renovável, o engenheiro e técnico em eletrotécnica Frederico Milward Leitão Garcia vê impulso renovado com a startup que criou em BH, a Foto Energy, responsável pelo desenvolvimento de sistemas em Minas, no interior de São Paulo e na Paraíba. 


"Freddy" diz que desde julho, os pedidos não param de chegar, com a falta de chuvas, risco de racionamento de energia e a conta que vai ficar 30% mais cara. Os interessados, em sua maioria, são famílias de maior poder aquisitivo e engajadas na causa da preservação do meio ambiente em casas ou condomínios fechados na Grande BH.

Quem gera a própria energia paga a diferença entre o que consumiu do fornecimento da concessionária e a quantidade que seu sistema produziu, podendo limitar o pagamento mensal às taxas de iluminação pública e o devido pelos serviços de medição feitos pela companhia de energia do Estado.

Fonte: Portal Uai

Nenhum comentário:

Postar um comentário