Pequenas atitudes que ajudam o mundo

Reduzir, Reutilizar e Reciclar: esses são os conhecidos 3 Rs da sustentabilidade, três mudanças comportamentais que devemos aplicar em nossas práticas de consumo.

Este conjunto de simples ações pode –e deve- ser feita por qualquer pessoa, não importa a idade ou onde mora. O que vale é ter em mente que, para cada produto que consumimos, há uma demanda de matéria prima, de energia para sua fabricação, de combustíveis para  o transporte, e no final, haverá o resíduo gerado – e isso vale tanto para sua garrafinha de água mineral quanto para seu smartphone. Adotando os 3 Rs em sua vida você não só ajuda o planeta como também o seu bolso. Confira:


REDUZIR. Essa talvez seja a parte mais difícil de se repensar, já que muitas vezes não sabemos avaliar bem o que realmente precisamos consumir.  A partir daí temos uma infinidade de bens e embalagens que nem sempre são extremamente necessários no nosso dia-a-dia. Antes de comprar algo pense: “eu realmente preciso disso?” Um exemplo prático são os telefones celulares. Na maioria das vezes eles estão em perfeitas condições de uso e são simplesmente substituídos por um aparelho de tecnologia superior. E o que dizer, por exemplo, de alimentos que são embalados individualmente em pequenas porções dentro de outra embalagem? A quantidade de alimento é a mesma, porém com mais resíduos. E falando em alimentos, você compra as quantidades corretas? Por vezes lotamos a geladeira ou o armário por medo de que algo falte durante a semana (ninguém quer enfrentar as filas dos supermercados todos os dias), mas nem sempre damos conta de consumir tudo. Resultado: o desperdício. E falando nisso, não se esqueça de sempre economizar água e energia. Desligue luzes e aparelhos que não estão sendo utilizados, e também reutilize a água descartada da máquina de lavar para lavar seu quintal sempre que possível.

REUTILIZAR. Depois de avaliar e decidir o que comprar,  podemos dar um novo destino às embalagens ou mesmo ao produto que já foi utilizado para um fim, mas ainda tem serventia para outro. O copo de requeijão, seja de vidro ou plástico, pode sim ir para o armário da cozinha; aquelas impressões que não têm mais utilidade podem virar um bloco de anotações quando utilizamos o verso das folhas; as sacolas ecológicas vão dar muito mais viagens ao supermercado do que a sacolinha plástica descartável; uma caneca economiza dezenas de copinhos descartáveis para tomar o seu café no trabalho. Tudo deve ser reaproveitado até que realmente não haja mais condições de uso.

RECICLAR: Quando enfim o destino do produto for a lixeira, lembre-se que existe potencial financeiro no seu lixo doméstico. A indústria da reciclagem movimenta muito dinheiro, gera empregos e dá origem a novas matérias primas que não serão retiradas da natureza. Se em sua cidade não há coleta seletiva, informe-se se alguma cooperativa faz esse recolhimento em seu bairro, ou se até não há um catador autônomo na região. Seu único trabalho será separar os resíduos por material em uma lixeira seletiva: papel, plástico, metal e vidro devem ir para sacos de lixo separados e entregues para reciclagem. O lixo orgânico (restos de alimentos, etc.), pode ser aproveitado como adubo. Nada se perde na natureza e devemos nos lembrar disso antes de considerarmos o que não nos serve mais como “lixo”.

Estrada que brilha a noite

Projeto foi desenvolvido pelo designer Daan Roosegaarde e absorve luz do dia e brilha à noite.


As linhas da estrada absorvem a luz do dia da rodovia e brilham quando está escuro.

Chamada de "Glowing Lines" (linhas brilhantes, em inglês), a sinalização em uma estrada da Holanda, perto da cidade de Oss, faz parte do conceito de "estrada inteligente" desenvolvido pelo designer holandês Daan Roosegaarde e é executada por uma construtora holandesa.
Muito bom para ajudar os motoristas, e ainda economiza energia elétrica!

Visto no G1