Quais selos verdes são verdes mesmo?

No Brasil e no mundo, há uma proliferação de selos verdes e sociais de todos os tipos (para reclicagem, orgânicos, manejo florestal etc.). Afinal, preservação ambiental virou um novo atrativo comercial nos últimos anos. Paralelamente a essa proliferação de selos, no entanto, existe a má fé de algumas empresas que ludibriam o pobre consumidor, colocando, por exemplo, certificados reguladores obrigatórios como se fossem diferenciais. Quem já viu nas propagandas de carro um selinho do Ibama? Pois é, aquele selo nada mais é que uma obrigação da montadora em seguir certos critérios na produção e na regulagem do motor, como o uso de catalisadores. Em outros casos, as empresas fazem alarde sobre objetos ecologicamente corretos, mas que, na verdade, ainda devem ser melhor estudados para serem definidos assim como é o caso das sacolas de plástico biodegradável.


Na verdade, há dois tipos de selos sendo exibidos nas embalagens de produtos e nas propagandas: os independentes e os auto-reguladores. Os primeiros são selos de instituições independentes privadas ou estatais, de organizações não-governamentais ou associações empresariais. Os segundos são selos que a própria empresa ou instituição cria para tentar se auto-regulamentar e comunicar o consumidor.


Nem seria preciso dizer que os auto-reguladores são uma questão polêmica. Afinal, o consumidor precisa acreditar no que o fornecedor está dizendo e que ele faz sua própria auditoria e fiscalização.

Além dessa questão, muitos selos parecem apenas ilustrações que não identificam exatamente o que são. É o caso do símbolo da reciclagem. Usado hoje em dia em vários produtos, esses símbolos podem dizer tanto que o material usado foi reciclado quanto que a embalagem e/ou produto pode ser reciclado. Cabe ao consumidor ler com atenção a embalagem.

O Brasil tem participado da certificação ambiental de diversas formas, tanto usando selos internacionais como lançando os seus próprios selos.

Conheça alguns tipos de selos:



FSC – Conselho Brasileiro de Manejo Florestal

Certifica as áreas e produtos de
manejo florestal. Existem no Brasil cinco certificadoras credenciadas pelo FSC. São, pelo menos, 10 critérios básicos para a obtenção, entre eles,  manutenção das florestas e  direitos das comunidades  tradicionais e/ou rurais.


---------------

IBD – Instituto Biodinâmica


Certifica alimentos de origem orgânica. Na verdade, são dez selos diferentes que têm objetivos e finalidades diferentes. Desde o selo Demeter, originário da Alemanha, até o Ecosocial, que analisa o comprometimento social na produção. Para conhecer outros selos para produtos
orgânicos, clique aqui.





---------------


Fairtrade

É o selo do comércio justo. O respeito ao meio ambiente faz parte dos valores, mas a principal intenção desse selo é criar uma relação justa, solidária e sem atravessadores entre os pequenos produtores. Cria um sistema de comodities para produtos orgânicos ou não, desenvolvidos por pequenos proprietários. Para conhecer melhor, clique aqui e lei o artigo do ComoTudoFunciona.





--------------


ABNT Gestão Ambiental

É o selo que certifica os procedimentos que acompanham os princípios  do ISO 14001. Não  necessariamente a empresa  utiliza o selo em seus produtos, mas é possível. O ideal é procurar no site da ABNT as empresas que recebem o certificado.


---------------

Leed - Green Building Rating System

É o selo norte-americano para construções sustentáveis.
Entre os princípios estão otimização energética, uso de material reciclado, entre outros.




---------------


Procel

É o selo do Inmetro de eficiência energética de determinado eletrodoméstico.
A classificação vai de A a G, do mais eficiente ao menos eficiente respectivamente. E se popularizou graças a economia na conta de luz com
a escolha do produto. Para entender melhor, clique aqui.



Devemos sempre ter cuidado para não acreditarmos em tudo que vemos. Temos que ter discernimento e curiosidade, para saber se estamos levando "gato por lebre".

Nenhum comentário:

Postar um comentário